Loading...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

“...Tenho jasmim tenho hortelã
Eu tenho um anjo, eu tenho uma irmã
Com a saudade teci uma prece
E preparei erva-cidreira no café da manhã
Ninguém vai me dizer o que sentir
E eu vou cantar uma canção p'rá mim...”

(Renato Russo)
   Enquanto escuto essa maravilhosa canção... viajo por lembranças maravilhosas... passa um trailer diante dos meus olhos.. olhos da mente... a saudade se espalha e me remete a um tempo que não volta mais... tempo de criança... cuidados.. brincadeiras... tempo ao lado de minha mãe, a mulher mais importante de minha vida..
   Você me ensinou e me fez o que sou.. fico envaidecida por ser sua filha, pelos valores que me ensinou... cada dia aprendo mais e mais... Respeito e Dignidade foram alicerçados em mim por Você. Hoje você ocupa lugar na plateia das estrelas e está sempre olhando e velando por mim... Obrigada minha mãe... Muito Obrigada..

domingo, 15 de maio de 2011


 Quem dobrou teu pára-quedas?

    Charles Plumb era piloto de um bombardeiro na guerra do Vietnã. Depois de muitas missões de combate, seu avião foi derrubado por um míssil. Plumb saltou de pára-quedas, foi capturado e passou seis anos numa prisão norte - vietnamita. Ao retornar aos Estados Unidos, passou a dar palestras relatando sua odisséia e o que aprendera na prisão.
     Certo dia, num restaurante, foi saudado por um homem:
- "Olá, você é Charles Plumb, era piloto no Vietnã e foi derrubado, não é mesmo?"
- "Sim, como sabe?", perguntou Plumb.
- "Era eu quem dobrava o seu pára-quedas. Parece que funcionou bem, não é verdade?"
Plumb quase se afogou de surpresa e com muita gratidão respondeu: - "Claro que funcionou, caso contrário eu não estaria aqui hoje."
     Ao ficar sozinho naquela noite, Plumb não conseguia dormir, pensando e perguntando-se: - "Quantas vezes vi esse homem no porta-aviões e nunca lhe disse Bom Dia? Eu era um piloto arrogante e ele um simples marinheiro."
Pensou também nas horas que o marinheiro passou humildemente no barco enrolando os fios de seda de vários pára-quedas, tendo em suas mãos a vida de alguém que não conhecia.
     Agora, Plumb inicia suas palestras perguntando à sua platéia: - "Quem dobrou teu pára-quedas hoje?".
Todos temos alguém cujo trabalho é importante para que possamos seguir adiante. Precisamos de muitos pára-quedas durante o dia: um físico, um emocional, um mental e até um espiritual. Às vezes, nos desafios que a vida nos apresenta diariamente, perdemos de vista o que é verdadeiramente importante e as pessoas que nos salvam no momento oportuno sem que lhes tenhamos pedido. Deixamos de saudar, de agradecer, de felicitar alguém, ou ainda simplesmente de dizer algo amável. Hoje, esta semana, este ano, cada dia, procura dar-te conta de quem prepara teu pára-quedas, e agradece-lhe.    Ainda que não tenhas nada de importante a dizer, envia esta mensagem a quem fez isto alguma vez. E manda-a também aos que não o fizeram.
     As pessoas ao teu redor notarão esse gesto, e te retribuirão preparando teu pára-quedas com esse mesmo afeto. Todos precisamos uns dos outros, por isso, mostra-lhes tua gratidão. Às vezes as coisas mais importantes da vida dependem apenas de ações simples. Só um telefonema, um sorriso, um agradecimento, um Gosto de Você, um Parabéns...
Então lhe pergunto: “- Quem dobrou teu pára-quedas hoje?”
Pense nisso! Bjs a todos!

Súplica Cearense / Luíz Gonzaga
Composição : Gordurinha e Nelinho
Oh! Deus, perdoe este pobre coitado
Que de joelhos rezou um bocado
Pedindo pra chuva cair sem parar
Oh! Deus, será que o senhor se zangou
E só por isso o Sol arretirou
Fazendo cair toda a chuva que há
Senhor, eu pedi para o Sol se esconder um tiquinho
Pedir pra chover, mas chover de mansinho
Pra ver se nascia uma planta no chão
Oh! Deus, se eu não rezei direito o Senhor me perdoe,
Eu acho que a culpa foi
Desse pobre que nem sabe fazer oração
Meu Deus, perdoe eu encher os meus olhos de água
E ter-lhe pedido cheinho de mágoa
Pro Sol inclemente se arretirar
Desculpe eu pedir a toda hora pra chegar o inverno
Desculpe eu pedir para acabar com o inferno
Que sempre queimou o meu Ceará
“Às vezes queremos enxergar só o que está acontecendo com nós mesmos e fazemos disso algo grandioso.. Isso significa está olhando essa ou aquela situação de maneira singular e única, daí esquecemos de agradecer e orar não só por nós mas... também pela humanidade.
Nosso Deus é Único, Grandioso... Onipotente e Onipresente... Está sempre olhando, protegendo e abençoando todos os seus Filhos, sem exceção à cor, crença, posição financeira,  religião ou religiosidade. Ele nos ama e nos escuta sempre! Basta que aprendemos a escutá-lo também e senti-lo pois, quando fraquejamos, o Pai está sempre aposto pra nos colocar em seus braços”
Tenha uma boa reflexão.
Abraço grande e que Deus continue sendo nossa Bússola! Sempre!

sábado, 14 de maio de 2011


Alemanha,
 início do século XX
Durante uma conferência para universitários, um professor da Universidade de Berlim...
Lançou um desafio aos alunos com a seguinte pergunta:
“- Criou Deus tudo o que existe?”
Um aluno respondeu, convictamente: “- Sim, Ele criou!”
“- Deus criou realmente tudo o que existe?”
Perguntou novamente o professor.
"- Sim senhor!" respondeu o jovem.
O professor contrapôs: “- Se Deus criou realmente tudo o que existe, então Deus criou o mal! Já que o mal existe! E se concordarmos que as nossas obras são reflexos de nós próprios, então, Deus é mau!
O jovem calou-se perante o argumento do mestre, que, feliz, regozijava-se por ter provado, uma vez mais, que a fé era um mito.
Outro estudante levanta a mão e diz:
“- Posso fazer uma pergunta professor?”
“- Claro que sim!”. Responde ele.
O jovem faz uma curta pausa e pergunta: “- Professor, o frio existe?”
“- Mas que raio de pergunta é essa?... Lógico que existe! ou nunca sentiste frio?”.
Responde o aluno: “- Na realidade, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na verdade é ausência de calor. Todos os corpos ou objetos são passíveis de estudo quando possuem ou transmitem energia; o calor é o que faz que os corpos tenham ou transmitam energia. O zero absoluto é a ausência total de calor; todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagirem, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever de que maneira nos sentimos quando não sentimos calor”
“- E a escuridão, existe?” Continuou o estudante. O professor respondeu: “- Existe”
O estudante respondeu: “- A escuridão tão pouco existe. A escuridão na realidade, é a ausência de luz! A luz podemo-la estudar, a escuridão, não! Através do prisma de Nichols, pode-se decompor-se a luz branca nas suas várias cores, com os seus diferentes comprimentos de onda.”
“- A escuridão não! Como se pode saber quanto escuro está um determinado espaço? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço!”
“- A escuridão é uma definição utilizada pelo homem para descrever o que ocorre na ausência de luz”.
Finalmente o jovem perguntou ao professor: “- Professor, o mal existe?”.
Este respondeu: “- Como afirmei no início, vemos crimes e violência em todo o mundo. Isto é o mal”
O aluno respondeu: “- O mal não existe senhor, ou pelo menos, não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem... Em conformidade com os casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus”
“- Deus não criou o mal... O mal é o resultado da ausência de Deus no coração dos seres humanos. Tal e qual como acontecem com o frio quando não há calor ou com a escuridão quando não há luz!”
O jovem foi aplaudido de pé e o mestre, abanando a cabeça, permaneceu em silêncio...
O reitor da Universidade, dirigiu-se ao jovem estudante e perguntou-lhe: “- Como te chamas?”
O jovem respondeu: “- Chamo-me Albert Einstein"

Façamos de Deus a bússola de nossas vidas!
Obrigado Pai por tudo!! Minhas obras não sou Eu quem as realizo... mas a Força de Ti que permeia os Céus e a Terra!..

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A Borboleta Azul

    Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.
    As meninas sempre faziam muitas perguntas. Algumas ele sabia responder, outras não.
    Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina.
O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar. Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.
Então, uma delas apareceu com uma borboleta azul que usaria pra pregar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer? – perguntou a irmã.
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta.
- Se ele disser que está morta, vou abrir as mãos e deixá-la voar. – Se ele disser que está viva, vou apertá-la e esmagá-la. E assim, qualquer resposta que o sábio nos der está errada!
    As duas meninas foram, então, ao encontro do sábio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio! Ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você. Ela está em suas mãos!
    Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro. Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado. Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não).
    Nossa vida está em nossas mãos, assim como a borboleta azul. Cabe a nós saber o que fazer com ela. (autor não identificado).

"A Felicidade é de nossa total responsabilidade... Não há nada e nem ninguém que possa impedir nossa Caminhada... Nosso Sucesso... Nosso Equilíbrio. E, se pensamos um dia que algo ou alguma situação deu errado... Devemos agradecer a tudo isso...  Se já sabemos o que não queremos pra nossa Vida, então, fica mais fácil escolher o que realmente queremos.
Sigamos em frente aprendendo com os acertos e principalmente com os erros. Como já dizia o poeta Humberto Gessinger: “...Se fosse fácil achar o caminho das pedras... Tantas pedras no caminho não seria ruim...”
Beijos e uma boa reflexão!

Carpe Diem.... Colha o dia..!